Na entrevista para o projeto “Ser Pro”

Com esta iniciativa, procura-se, essencialmente, contribuir para um encontro de vontades de empresas, escolas e autarquias no desenvolvimento de cursos que, indo ao encontro das vocações e interesses dos alunos, contribuam, efetivamente, para colmatar o défice de profissionais especializados, formando técnicos altamente qualificados que respondam às reais necessidades das empresas contribuindo, assim, para o desenvolvimento socioeconómico das regiões. O papel da Iniciativa Educação passa, essencialmente, por se assumir como um catalisador de vontades. Em primeiro lugar, ajudando escolas e empresas a juntarem-se para analisar necessidades regionais de formação de jovens para que ambas as partes possam contribuir.

Em segundo lugar, o papel da Iniciativa tem sido o de promover contactos com autarquias e institutos politécnicos para obter apoios logísticos e técnicos que garantam a qualidade dos cursos profissionais.

Em terceiro lugar, tem ajudado a concretizar matrizes curriculares ajustadas às necessidades, recursos técnicos e disposições legais existentes. As empresas têm um papel importante em todo este processo. Podem colaborar, desde o início, no desenho de cursos modernos e adaptados às necessidades do tecido empresarial. E são decisivas para ajudar na formação dos jovens em contexto de trabalho.

Entrevista à aluna da turma 10ºGPSI – Mariana Robalo

Os alunos do 10° GPSI numa entrevista para o projeto Ser Pro que orgulho, representaram muito bem a sua turma e o seu curso. Projeto piloto da Iniciativa Educação da Fundação Teresa e Alexandre Soares dos Santos.

9 thoughts on “Na entrevista para o projeto “Ser Pro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *